Botafogo - (21) 3518-8830 / (21) 3518-8836
Tijuca - (21) 2568-2599 / (21) 2568-7650
Méier - (21) 2501-3958 / (21) 2501-1299

Quando a cirurgia de coluna é a próxima fase no tratamento?

Quando a cirurgia de coluna é a próxima fase no tratamento?

Para quem sofre de dor nas costas e especialmente para aqueles cuja dor é considerada crônica (dor que persiste por três meses ou mais), existem muitas possíveis opções de tratamento, algumas apresentando a promessa de "curar" ou oferecer alívio duradouro. Essas promessas de tratamentos vocês podem encontrar em links na internet, blogs, grupos de tratamento da coluna, atividades físicas, exercícios sugeridos por amigos e por aquele amigo sabichão. E também os tratamentos recomendados pelos profissionais de saúde. Podemos afirmar que não há escassez de maneiras de abordar o manejamento do tratamento da dor nas costas.

Como um cirurgião da coluna, eu sou, muitas vezes, os últimos passos dessa viagem de procura que um paciente faz para encontrar alívio e o tratamento de sua coluna vertebral. Dependendo de onde a estrada os tenha levado, às vezes encontro um viajante cansado e cauteloso que ainda está com dor significativa. Ele ou ela sabe que apenas "viver com a dor" não é mais uma opção - talvez devido a deficiência, desfiguração ou acomodações de estilo de vida tão graves que a vida com dor já não parece habitável.

Por uma razão ou outra, o público foi condicionado a considerar a cirurgia da coluna como uma "saída fácil" de dor nas costas. Estou aqui para lhe dizer que nada pode estar mais longe da verdade. A cirurgia de coluna tradicional não é uma cirurgia fácil nem sem riscos e, às vezes, não consegue-se eliminar completamente a dor, pois o diagnóstico e as lesões crônicas causam dores perenes. Mas no decorrer da minha carreira, eu também vi que isso proporcionava uma esperança renovada e restaurava a vida a tantas pessoas afligidas com uma ampla gama de doenças da coluna vertebral degenerativa, deformada ou traumática.

Fica a pergunta: A cirurgia da coluna ela pode ser generalizada da mesma maneira para todos os pacientes? A resposta é Não.

Existe uma consideração, pois qualquer tipo de cirurgia deve considerar o ser humano individual e o que ele esta passando. Dependendo da condição que deve ser corrigida com a cirurgia da coluna, uma série de outros fatores devem ser avaliados, entre eles as doenças associadas, uso de medicamentos, idade, qualidade de vida e escutar o que o paciente busca com o seu tratamento.

A maioria dos casos com exceção aos relacionados ao trauma/fratura da coluna (a consideração cirúrgica desses tipos de lesões é avaliada de forma diferente), a cirurgia considerada deve ser enquadrada baseada nos tratamentos conservadores que não proporcionaram o alívio adequado da dor e aos anseios do paciente. As opções de tratamento conservador podem incluir fisioterapia, injeções de esteroides epidurais, tratamentos de quiropraxia e terapia de medicação com estabilizadores neurais, para citar alguns. Não importa a causa, a dor persistente (crônica) é o denominador mais comum sobre se a cirurgia da coluna deve ser considerada. Outros fatores incluem a incapacidade (talvez a condição tenha se tornado tão grave que o paciente esteja aprisionado) e pode ocorrer má formações (em casos de escoliose ou cifose, por exemplo).

Já li isso e volto a falar, pois escrevi que nem todos os tipos de cirurgia da coluna são considerados iguais, muito menos os cirurgiões que os realizam. Em situações em que o tratamento cirúrgico de uma condição da coluna vertebral pode ser corrigido usando uma abordagem minimamente invasiva, é uma opção que vale a pena explorar. Estudos demonstraram que uma cirurgia de coluna indireta minimamente invasiva pode reduzir o risco operacional e reduzir o tempo de recuperação para muitos pacientes. Da mesma forma, é importante encontrar um cirurgião da coluna que esteja disposto a discutir abertamente opções de tratamento com você (incluindo uma divulgação honesta sobre seus riscos), bem como alguém que tenha a habilidade e os conhecimentos necessários para tratar sua condição específica (ser especialista com treinamento adequado e membro da Sociedade Brasileira de Coluna).

Mas talvez o mais importante, você deve se sentir à vontade para discutir, aceitar e seguir as recomendações que o cirurgião de coluna faz. Não importa em que caminho para a cirurgia de coluna você se encontra, ter confiança é necessário para você chegar ao seu destino final (tenha a esperança de viver melhor na luta contra a dor). Dr. Felipe Figueiredo - médico e paciente da coluna vertebral.

Veja também:

RECUPERAÇÃO PÓS-CIRURGIA

CIRURGIA ENDOSCÓPICA DA COLUNA

PRÓS DA CIRURGIA ENDOSCÓPICA DA COLUNA

Voltar para Blog