Botafogo - (21) 3518-8830 / (21) 3518-8836
Tijuca - (21) 2568-2599 / (21) 2568-7650
Méier - (21) 2501-3958 / (21) 2501-1299

Estenose da Coluna Lombar (Estenose do canal vertebral)

Estenose da Coluna Lombar (Estenose do canal vertebral)

A estenose de coluna é uma condição que ocorre quando o canal vertebral se estreita, restringindo ou comprimindo as raízes nervosas, canal vertebral e ou medula espinhal. Geralmente é causada por osteoartrite, uma instabilidade da coluna vertebral.

Os sintomas comuns são dor nas pernas (claudicação neurogênica) ou na parte inferior das costas quando estão de pé ou a pé. O estreitamento do canal espinhal geralmente ocorre na parte inferior das costas (coluna lombar) e no pescoço (coluna cervical) ou, em raras ocasiões, a região torácica da coluna vertebral (parte superior das costas). Os sintomas de dor, fraqueza ou dormência podem ocorrer em várias áreas, dependendo da região da medula espinhal que está sendo comprimida.

  • Causas

A estenose espinhal pode ser uma condição congênita; algumas pessoas possuem um canal espinhal estreito desde o nascimento (pré-disposição que piora com o envelhecimento). Porém, mais frequentemente, resulta de alterações degenerativas na coluna vertebral, o desgaste que leva à osteoartrite. O excesso de crescimento ósseo por osteoartrite, o espessamento do um ligamento amarelo nas costas e os discos abaulamento podem contribuir para a condição, associado à artrose facetária.

Se você tem mais de 50 anos, você tem risco de estenose espinhal, sendo que as mulheres estão mais em risco do que os homens. Outras condições que podem causar estenose espinhal incluem: espondiloartrite inflamatória, tumores espinhais, trauma ou doença de Paget (mais frequentes em homens).

Seus riscos são aumentados se você teve uma lesão medular anterior ou uma cirurgia na coluna vertebral.

  • Sintomas

As pessoas que têm estenose espinhal lombar muitas vezes têm dor nas pernas e nas costas depois de caminhar (claudicação). A dor desaparece depois de se sentar ou de se inclinar (apoio no carrinho de supermercado).

Nos casos de estenose da coluna vertebral cervical, os pacientes podem ter sintomas semelhantes à estenose lombar, mas com dor de garganta proeminente e sensações peculiares nos braços, má função das pernas ou incontinência (sinais de mielopatia – lesão medular progressiva). Também pode haver entorpecimento, fraqueza ou dormência nas pernas. O intestino, a bexiga e a função sexual podem ser afetados e pode haver algum grau de paralisia nas pernas com estenose espinhal cervical grave. Curiosamente, nem todos os pacientes com evidência de raios-X de estenose espinhal desenvolvem sintomas. Por esta razão, a estenose espinhal refere-se à condição em que você tem sintomas e não ao próprio estreitamento.

  • Diagnóstico

A estenose do canal vertebral da coluna pode ser diagnosticada por uma história e exame físico, mas os estudos de imagem (raios-X, tomografia computadorizada, e, principalmente a ressonância magnética) são frequentemente utilizados para avaliar causas e gravidade da doença. Você também pode realizar uma eletroneuromiografia (EMG) para verificar a função dos nervos em suas pernas. Exames de sangue serão feitos para verificar outras condições que você possa ter e excluir outras possibilidades.

  • Tratamento

O exercício é importante para manter a força muscular e a estabilidade ao caminhar no início da doença, porém como ela pode ser progressiva, você deve ser encaminhado para um médico especialista em coluna vertebral. Seu médico especialista deve conversar com um fisioterapeuta que irá adotar exercícios para alongar e ajudar a manter e fortalecer músculos do tronco, especialmente nos braços e pernas superiores. Isso pode ajudar a controlar a dor.

Muitas vezes o paciente não é capaz de se exercitar devido à dor, sendo assim, deve começar com exercícios flexionados e trabalhar até andar ou nadar por 30 minutos, três vezes por semana. Os AINE e as injeções de cortisona são usados para controlar a dor e a inflamação.

A cirurgia é o tratamento definitivo, para descompressão das raízes nervosas. Muitas pessoas tem medo da cirurgia, porém atualmente, o procedimento é seguro, realizado pela técnica de microcirurgia com laminectomia de descompressão removendo o acúmulo de osso no canal espinhal e liberando as raízes nervosas. Geralmente também é realizada a estabilização da coluna com recuperação rápida e internação média de 48 horas. Paciente inicia a deambulação após média de 12 horas após procedimento.

Fontes: Klippel JH. Primer nas Doenças Reumáticas. Nova Iorque, NY: Springer; 2008. Estenose espinal. Colégio Americano de Reumatologia. Https://www.rheumatology.org/I-Am-A/Patient-Caregiver/Diseases-Conditions/Spinal-Stenosis.

Veja também:

ESTENOSE DO CANAL VERTEBRAL

Voltar para Blog