Botafogo - (21) 3518-8830 / (21) 3518-8836
Méier - (21) 2501-3958 / (21) 2501-1299
Tijuca - (21) 2568-2599 / (21) 2568-7650

Estenose do Canal Vertebral

A estenose lombar é o estreitamento do canal vertebral na região lombar. Este canal contém a medula espinhal desde a porção cervical até a lombar alta, enquanto a média e a inferior contêm as raízes nervosas da chamada cauda equina. O canal estreito pode comprimir estas raízes e determinar sinais e sintomas neurológicos.

CAUSAS

Congênita
Pacientes que apresentam estreitamento do canal vertebral por formação constitucional e devido a protusões discais e leves alterações facetárias cursam precocemente com compressão das estruturas nervosas e sintomatologia dolorosa.

Adquirida
Ocorre durante o envelhecimento, mais comumente após os 60 anos de vida. Devido a espondilodiscoartrose, as pessoas desenvolvem estreitamento do canal vertebral por onde os nervos passam e/ou do orifício por onde os nervos saem, causando hipertrofia dos ossos e/ou ligamentos nestes locais. Esse estreitamento pode ser segmentado (apenas em uma região da coluna) ou generalizado e resulta na compressão dos nervos da coluna ou mesmo na medula.

SINTOMAS E SINAIS

• Dor lombar
• Dor irradiada para nádega ou membros inferiores
• Alterações de sensibilidade, como amortecimento ou formigamento de um ou ambos os membros
• Dificuldade progressiva ao andar denominada claudicação neurogênica – Dormência / Formigamentos das pernas
• Perda de força em membros inferiores
• Tronco encurvado anteriormente ao ficar em pé, postura que alivia a dor e melhora outros sintomas.

DIAGNÓSTICO

É possível descobrir se a pessoa possui estenose por meio de radiografia, que avalia a curvatura da coluna vertebral e torna possível realizar exames dinâmicos para observar instabilidade. Além disso, a ressonância magnética lombar evidencia com melhor clareza as estruturas nervosas comprimidas.
Outra opção é a tomografia lombar, solicitada para avaliar calcificações ligamentares, diâmetro do forâmen intervertebral e principalmente osteófitos comprimindo o canal vertebral. Por fim, a mielotomografia quando existe impossibilidade de realizar ressonância magnética, e para avaliar instabilidade com compressão das estruturas nervosas.

TRATAMENTO

Conservador e Bloqueios
Pode ser realizado como o uso de coletes, fisioterapia, fortalecimento muscular e manejo da dor com medicações analgésicas ou mesmo infiltrações epidurais ou foraminais. Diferente da hérnia de disco, cujo tratamento conservador apresenta bons resultados, na estenose de canal lombar muitas vezes a melhora não é mantida por um longo período.

Cirurgia
Indicada quando o paciente não apresenta melhora com o tratamento conservador, piora da sintomatologia ou dor incapacitante. As opções de tratamento dependerão do correto diagnóstico e de quais níveis estão comprimidos para serem avaliadas as opções cirúrgicas para a descompressão como procedimento minimamente invasivos ou cirurgias abertas.

Voltar para Patologias