Botafogo - (21) 3518-8830 / (21) 3518-8836
Méier - (21) 2501-3958 / (21) 2501-1299
Tijuca - (21) 2568-2599 / (21) 2568-7650

Síndrome dolorosa crônica após cirurgia de coluna

A condição de não melhora adequada na cirurgia de coluna, com surgimento de dor crônica e até piora da dor diz respeito ao paciente que apresenta dor crônica no pescoço ou nas costas, com ou sem dor nas extremidades, após ter realizado uma cirurgia na coluna que não apresentou a melhora desejada. Ou seja, o paciente apresenta a dor ou tem um padrão de dor diferente da que tinha antes da cirurgia.

Podemos dividir esses pacientes:

→ Pacientes que não obtiveram melhora ou apenas melhora parcial após o procedimento proposto

Nesse caso, devemos investigar se todas as possíveis fontes de dor foram incluídas no tratamento. Por exemplo, se a dor é de origem de degeneração discal em vários discos e o disco que também apresentava a doença não foi incluído. Assim, podemos fazer o tratamento minimamente invasivo escalonado.

→ Pacientes que apresentam fibrose exagerada e também recuperação muscular dolorosa

Essas causas são tratadas com fisioterapia de recuperação pós-operatória e bloqueios para a dor de pontos de contração muscular exagerada. Sabe-se que os pacientes com fibromialgia são os que têm a maior chance de apresentar essas síndromes dolorosas pós-operatórias.

→ Pacientes nos quais a dor retorna após algum tempo de alívio

Neste grupo, as causas a serem investigadas podem estar relacionadas a um nível adjacente ao operado (outras vértebras que são acometidas), devido a doenças degenerativas, novas hérnias com compressões, artrose facetária, artrose sacroilíaca, ausência de consolidação óssea adequada (pseudoartrose). A pseudoartrose, muitas vezes, ocorre com falha do implante e tem maior chance de acontecer devido a doenças do metabolismo e traumas, sendo geralmente proposto um novo tratamento resolutivo no acompanhamento do paciente.

DIAGNÓSTICO

Devido à complexidade do tratamento, uma série de exames e diagnósticos deve ser realizada. Entre eles podemos destacar: raios-X simples e dinâmico, ressonância magnética, tomografia, cintilografia ósseas e exames de sangue para identificar alterações metabólicas e hormonais.

TRATAMENTO

Primeiro buscar a causa correta da dor.

Para cada caso existe uma solução que pode ser desde fisioterapia, bloqueio de nervos, medicações até novas cirurgias. Em pacientes com dores crônicas importantes fazemos uso do estimulador medular para o tratamento, com excelentes resultados nos casos escolhidos.

Tratamento não cirúrgico

• Medicações
• Fisioterapia
• Alongamentos
• Tratamento da dor
- Bloqueio do gânglio de L2
- Bloqueio radicular cervical
- Bloqueio radicular lombar
- Bloqueio epidural cervical
- Bloqueio epidural lombar
- Bloqueio sacroilíaco
- Neuromodulação com uso de Radiofrequência Pulsátil
• Neuromodulação com uso de Radiofrequência Contínua
- Radiofrequência na articulação Sacroilíaca

Tratamento cirúrgico

• Revisão da Cirurgia (artrodese e uso de novo enxerto ósseo)
• Tratar as vértebras adjacentes (artrodese)
• Estimulador medular para dor espinhal

Voltar para Patologias