Botafogo - (21) 3518-8830 / (21) 3518-8836
Méier - (21) 2501-3958 / (21) 2501-1299
Tijuca - (21) 2568-2599 / (21) 2568-7650

Fraturas da Coluna e do Corpo Vertebral

Para pessoas com osteoporose ou osteopenia, envelhecer não é fácil. Esses distúrbios relacionados, caracterizados com ossos enfraquecidos, muitas vezes levam a fraturas de compressão vertebral - ou colocam mais simplesmente, fraturas de osso nas vértebras da coluna vertebral.

Na verdade, a Fundação Internacional de Osteoporose diz que a osteoporose causa uma fratura (de qualquer tipo) a cada 3 segundos.

Quem é mais afetado pelo risco de fratura relacionado com a osteoporose ou osteopenia?

Principalmente são mulheres pós menopausa (embora os homens também estejam em risco). Um estudo de 2012 publicado pelo Jornal Permanente descobriu que cerca de 25% de todas as mulheres pós-menopáusicas experimentam uma fratura espinhal durante algum tempo durante suas vidas.

Se você é uma mulher com mais de 50 anos de idade e apresenta doença do metabolismo ósseo (osteoporose), você tem aproximadamente 1 chance em 3 de apresentar uma fratura espinhal, de acordo com a Fundação Internacional de Osteoporose. Além disso, é provável que ocorra mais de uma fratura novamente no futuro.

Junto com dores nas costas (edema, giba de curto prazo e desconforto a longo prazo), uma fratura vertebral pode resultar em deformidade da coluna vertebral, deficiência ou diminuição da capacidade de realizar suas atividades diárias, diminuição da qualidade de vida e maiores custos médicos.

Um protocolo de meta-análise, publicado em 2017, informa que as fraturas vertebrais tendem a ocorrer após o colapso da frente da coluna vertebral.

Entendendo o Corpo Vertebral
Conforme mencionado acima, as fraturas de compressão espinhal afetam principalmente o corpo vertebral. O corpo vertebral é a maior parte do osso da coluna vertebral, e compreende a porção anterior da vértebra, o que significa que está localizado na frente, em relação ao canal vertebral que está ligado a ele. De uma vista lateral, a frente do corpo vertebral está mais próxima da frente do seu corpo, enquanto o canal vertebral está mais próximo das costas.

O corpo vertebral é geralmente formado como um cilindro curto. Em ossos medulares normais, não lesados, esta forma cilíndrica varia um pouco, dependendo se está localizado nas áreas cervical, torácica ou lombar da coluna vertebral. O mesmo é verdade para as outras partes da vértebra, por exemplo, os processos espinhosos nas costas das vértebras cervicais são mais alongados do que os da coluna lombar.

Os corpos vertebrais na coluna lombar são mais espessos, mais fortes e construídos mais fortes do que as vértebras torácica e cervical. Isto é provavelmente relacionado ao suporte de peso extra requerido das vértebras lombares em comparação com o torácico e ao cervical, que estão localizados acima deles.

Os corpos vertebrais da coluna vertebral se juntam um para formar a coluna vertebral. Os corpos vertebrais ajudam a fornecer apoio importante para sentar, ficar de pé, andar e outros movimentos. Entre os corpos vertebrais estão os discos intervertebrais, proporcionando amortecimento e absorção de choque.

Os corpos vertebrais também fornecem (em combinação com outras partes da vértebra) os limites dos espaços através dos quais a medula espinhal se localiza, bem como os nervos ramificados que saem da coluna no caminho para todas as partes do corpo. Por isso é importante o tratamento eficaz e no tempo correto das fraturas de compressão no paciente com osteoporose/osteopenia.

Fraturas de compressão vertebral
As fraturas de compressão vertebral geralmente ocorrem quando a parte frontal do osso espinhal (chamado corpo vertebral e discutido em mais detalhes abaixo) - por qualquer motivo - não pode suportar a carga da coluna vertebral.

Embora a osteoporose relacionada à idade ou a osteopenia geralmente desempenhem grandes papéis no início de uma fratura da coluna vertebral (especialmente quando se considera o número de casos na população como um todo), outras causas existem. Estes podem incluir lesões na coluna vertebral, além de doenças que comprometem o metabolismo e a qualidade do osso (por exemplo, câncer ou infecção).

Os sintomas de uma fratura de compressão espinhal incluem dor nas costas de forte intensidade que melhora quando você descansa. A área próxima à lesão pode ser sensível e dolorosa ao toque. Você também pode experimentar radiculopatia, ou sensações relacionadas ao nervo (mais dor, é claro) que descem uma perna ou braço, embora este conjunto de sintomas seja raro em casos de fratura de compressão espinhal por osteoporose associado a alterações neurológicas. Pode ocorrer dor ao dobrar (fletir) ou torcer a coluna vertebral.

Fraturas de compressão muitas vezes resultam em perda de altura vertebral, e restaurar essa altura é o objetivo das cirurgias/ procedimentos comumente realizadas para essa lesão. A perda de altura geralmente é devido à reestruturação da frente do osso espinhal, isto é, o corpo vertebral, em uma forma de cunha, o que tende a ocorrer como resultado do colapso. (O anel ósseo que está ligado à parte de trás do corpo vertebral permanece em grande parte no entanto).

Tratamentos para fraturas de compressão da coluna vertebral
Os tratamentos para ossos da coluna vertebral fraturados incluem cirurgia/procedimentos minimamente invasivos e tratamento conservadores (fraturas tardias/antigas). Os dois procedimentos minimamente invasivos mais comuns são a cifoplastia com balão e vertebroplastia percutânea (em desuso/mais antigo). Ambos os procedimentos tentam restaurar a altura perdida no osso colapsado, porém a cifoplastia apresenta uma segurança muito maior associada e excelentes resultados comparada com a vertebroplastia. O tratamento conservador, pode consistir em repouso na cama, medicação, vestimenta de colete. Os últimos trabalhos científicos demonstração que o paciente submetido a cifoplastia apresenta melhor qualidade de vida e maior taxa de esperança de vida comparado com o grupo que realizou tratamento conservador para fraturas osteoporótica no médio/longo prazo. E no curto prazo os pacientes tratados com cifoplastia apresentam melhores índices de qualidade de vida (SF-32) que o grupo em que foi realizado tratamento conservador. Em caso de contraindicação da cifoplastia e você, paciente, seguir o tratamento conservador é importante saber das suas limitações, a chance de não consolidação(pseudoartrose), tempo prolongado e a perda de altura/cifotização do segmento fraturado(aumenta a corcunda). Porém ele muitas vezes pode ser indicado em pacientes jovens em pacientes com pequenas fraturas de compressão que não foram precipitadas ou causadas pelas osteoporose, como por exemplo um choque em uma partida de futebol.

Voltar para Tratamentos